Especificação técnica de conjunto de câmera de CFTV digital em rede|CFTVDICAS

9232e2f096

camera-de-seguranca-infravermelho
Especificação técnica de conjunto de câmera de CFTV  PTZ digital em rede 1. Esta Especificação destina‐se a orientar as linhas gerais para o fornecimento de equipamentos

 Devido às especificação de cada central e de cada aplicação, todos os itens desta Especificação estão sujeitos a revisões, que podem implicar em alterações, acréscimos ou exclusões. Portanto, a aplicação desta Especificação não deverá ser automática, devendo sempre ser submetida à análise das áreas envolvidas antes da efetivação do fornecimento. 2. As câmeras de CFTV PTZ serão utilizadas para monitoramento de tráfego por vídeo e deverão ser dotadas de telecomando de pan/tilt/zoom (PTZ). 3.

Características e funcionalidades gerais: 3.1. Todas as câmeras deverão ser projetadas para operar em ambiente externo, 24 horas por dia. 3.2. As câmeras a serem fornecidas deverão ser digitais de rede IP nativo. 3.3. As câmeras devem suportar, no mínimo, os formatos de compressão de vídeo M‐JPEG e H.264. 3.4. As câmeras deverão ser compatíveis com Open Network Vídeo Interface Fórum (ONVIF). 3.5. Todos os equipamentos e serviços deverão ser fornecidos e instalados completos, em conformidade com as normas técnicas vigentes, desenhos e especificações vigentes na PMSP, CET e ABNT.   3.6. A CET realizará a fiscalização do cumprimento das    especificações, podendo, para isso, utilizar os serviços de laboratório especializado a fim de comprovar a conformidade dos itens fornecidos às exigências. 3.7. O Empreendedor a será o único responsável pela qualidade dos materiais e serviços fornecidos, devendo substituir ou reexecutar aqueles que não estiverem em conformidade com as especificações.

Especificação ‐ Câmera digital PTZ em rede – Rev. 1.0 – 04/06/14 2 4. As especificações técnicas dos conversores ópticos deverão seguir as características da rede de transmissão de dados existente na época da implantação. 5. O conjunto de câmera de CFTV é formado por câmera de vídeo, lente zoom, pan‐ tilt, receptor de telecomando, interface óptica, abrigo contra intempéries, disjuntores, dispositivos de proteção elétrica, cabos e todos os acessórios necessários para o funcionamento da câmera e sua operação na Central de Operações. 6. As imagens produzidas pelas câmeras serão geradas e transmitidas em tempo real para o Centro de Controle na forma de vídeo de rede TCP/IP HDTV 720p ou megapixel a 30 quadros por segundo (fps). 7. A montagem da câmera deverá formar conjunto compacto de câmera, lente, pan‐ tilt e interface de telecomando, sendo permitido o conjunto do tipo domo. 7.1. A janela ou domo deverá ser de material resistente a riscos, de alta transparência e que não cause distorções perceptíveis na imagem e deverá atender ao padrão antivandalismo IK‐10. 7.2. Caso exista um sistema de limpeza da janela, este não deverá utilizar líquido. 8. Deverá dispor de giro horizontal livre de 360 graus, sem batente. 8.1. Em câmeras domo, o giro de 360 graus poderá ser implementado através de giro com inversão da posição da câmera (flip), desde que isto seja feito de forma rápida e automática, transparente para o operador. 9. A câmera ou o sistema de telecomando deverá permitir a variação de velocidade de pan e tilt a fim de permitir um controle preciso do movimento da câmera. 10. Deverá ser possível conectar a câmera a um computador portátil em campo, por meio de rede TCP/IP, de forma a se visualizar a imagem e se realizar telecomandos de PTZ localmente, com a finalidade de se realizarem testes de manutenção.   11. Deverá ser do tipo multi‐stream com, no mínimo, 2 streams simultâneos de vídeo, sendo, pelo menos, um em H.264 e um em M‐JPEG, com configurações independentes de resolução e taxa de frames para cada stream. A função multi‐ Especificação ‐ Câmera digital PTZ em rede – Rev. 1.0 – 04/06/14 3 stream poderá ser gerada na própria câmera ou pelo software de gerenciamento de vídeo. 12. Deverá possuir dispositivo de alarme contra violação dos equipamentos em campo disparado no Centro de Controle. 13. Deverá ser fornecida com braço de fixação em poste ou parede com extensão mínima de 400 mm; 13.1. O suporte e o braço de fixação em poste ou parede deverão permitir a passagem interna de cabos e ser do mesmo fabricante da câmera. Será aceito braço de fixação de fabricante diferente da câmera, ou fabricado sob medida, somente se o fabricante da câmera não produzir braço com as características especificadas; neste caso, as características mecânicas e funcionais deverão ser as mesmas especificadas e o acabamento deverá ser o mesmo da caixa da câmera. 14. Especificações Técnicas mínimas: • Câmera de rede TCP/IP nativo, endereçamento IPV4; Não será aceito conversor IP externo; • Resolução HDTV 720p (1280 x 720) ou megapixel (1280 x 1024) formato 16×9 (outros formatos wide screen, como 16×10 poderão ser aceitos sob consulta);   • Taxa de frames na resolução máxima: 30 fps (quadros por segundo) em todos os streams; • Formatos de compressão H.264 e M‐JPEG; • Sensor de imagem C‐MOS; • Varredura progressiva (progressive scan); • Autoíris;   • Zoom óptico mínimo de 15x com foco automático ,F1 .8 ou inferior; • Sensibilidade para operação noturna inferior a 0,5 lux (em modo monocromático) com função dia‐noite automática e amplo alcance dinâmico (WDR); • Filtro de infravermelho removível automaticamente; • Estabilizador eletrônico de imagens; • Número mínimo de posições pré-gravadas (presets): 20; • Criptografia de HTTPS, IEEE 802.1X; • Dispositivos de segurança contra adulteração de imagens; • Giro horizontal (pan) de 360° ilimitado, com ou sem auto‐flip;   • Giro vertical (tilt) de 0° a ‐80°; • Velocidade de pan e tilt variáveis; em velocidade máxima, deverá alcançar, no mínimo, 50°/s na horizontal e 25°/s na vertical; Especificação ‐ Câmera digital PTZ em rede – Rev. 1.0 – 04/06/14 4 • Caixa para câmera com proteção ambiental grau IP66 e antivandalismo grau IK‐ 10; • Caixa para equipamentos em campo com grau de proteção IP66 com fechadura a chave; • Licença de uso do software gerenciador de vídeo existente no Centro de Controle; • Compatibilidade total com padrão ONVIF. • Deve possuir zonas de máscara de privacidade programáveis; • Deve possuir, no mínimo, 1 entrada e 1 saída de alarme; • Temperatura de operação entre 0°C e 50°C. 15. Alimentação elétrica dos equipamentos em campo: 15.1. A conexão entre a rede pública e os equipamentos em campo deverá ser subterrânea e deverá ser fornecida e instalada toda a infraestrutura que se fizer necessária (dutos, caixas, colunas cabos etc.), assim como a elaboração do projeto de instalação elétrica e sua aprovação junto à concessionária de energia. 15.2. Os equipamentos em campo serão alimentados pela energia fornecida pela rede pública, com tensão de 127 Vac a 240 Vac a 60HZ. Para os equipamentos que utilizarem outras tensões de alimentação, deverão ser fornecidos os transformadores e as fontes de alimentação que se fizerem necessários. 15.3. Os materiais e serviços necessários à conexão dos equipamentos à rede pública são parte integrante do escopo de fornecimento. 15.4. Cabos, chaves, disjuntores e outros dispositivos ligados à rede elétrica deverão ser dimensionados de acordo com a tensão e corrente elétricos fornecidos aos equipamentos, com as margens de segurança necessárias, de acordo com as normas técnicas aplicáveis. 15.5. Os cabos de alimentação elétrica deverão possuir isolamento elétrico com proteção antichama. 15.6. Os equipamentos deverão ser projetados e instalados de forma a atender às prescrições fundamentais e aos itens associados da NBR 5410, referentes à proteção contra choques elétricos, sobrecorrente, sobretensão, secciona mento Especificação ‐ Câmera digital PTZ em rede – Rev. 1.0 – 04/06/14 5 e comando, independência da instalação elétrica, acessibilidade dos componentes, condições de alimentação e condições de instalação. 15.7. Deverão ser fornecidos todos os dispositivos necessários de proteção da rede elétrica, como fusíveis, disjuntor diferencial residual (DR), destinado à proteção de pessoas, protetores contra surto (MOV) de, no mínimo, 10 KA. 15.8. Os sinais de comunicação em condutores metálicos deverão ser isolados elétrica e magneticamente dos condutores de alimentação elétrica. 15.9. Todas as interfaces com outros subsistemas ou entre componentes do mesmo subsistema, redes e demais interfaces deverão ser isoladas e protegidas eletricamente com dispositivos de supressão de surto de tensão, sem prejuízo da taxa de transferência de informações. 15.10. Todos os equipamentos eletrônicos em campo que não façam parte do conjunto da câmera (como filtros de proteção, disjuntores, caixa de fusão de fibras ópticas etc.) deverão ser instalados em caixa apropriados, grau de proteção IP66, fixada ao poste/torre da câmera, pórtico ou parede. 15.10.1. Esta caixa deverá ser fixada entre 3,5 metros e 4,0 metros de altura, medidos entre o solo e a base da caixa, exceto no caso de torre, onde a fixação deverá ser acima da plataforma intermediária ou acima da plataforma superior e, no caso de montagem em suporte de PMV, junto à caixa de equipamentos do PMV. 15.10.2. Caixa e armário deverão ser em material inoxidável, podendo ser metálicos ou de plástico de alta resistência. 16. Aterramento dos equipamentos em campo 16.1. Faz parte do fornecimento: a) Apresentação da configuração de aterramento adequada para os equipamentos de sua responsabilidade; b) Elaboração do projeto de aterramento para cada equipamento; c)

Execução do aterramento. Especificação ‐ Câmera digital PTZ em rede – Rev. 1.0 – 04/06/14 6 16.1.1. O projeto e a execução do aterramento deverão considerar os aspectos de terra de proteção elétrica, terra de referência de sinal, linhas de comunicação de dados e blindagens. 16.2. Deverão ser avaliadas as condições do aterramento dos equipamentos e de colunas existentes e se for constatada alguma não conformidade, deverá ser executado um novo ponto de aterramento, em substituição ao existente. 16.3. Todos os pontos de terra de um equipamento deverão convergir para um único ponto, o qual é conectado ao cabo de terra ligado à haste de aterramento. 16.4. As partes removíveis ou modulares que contêm equipamentos elétricos deverão ser efetivamente ligadas ao aterramento. 16.5. Não poderá haver loops de corrente e todas as ligações deverão ser feitas de forma radial, escolhendo‐se o menor caminho até a haste de aterramento. 16.6. A resistência de terra nos equipamentos em campo não poderá ser superior a 5 (cinco) ohms. 16.7. A conexão elétrica entre as malhas e a haste de aterramento deverá ser feita de forma que a resistência mecânica da ligação seja suficiente para suportar as solicitações existentes nos locais ao longo do tempo. 16.8. Deverá ser providenciado aterramento dos equipamentos e dos armários com precauções especiais para se evitar que as tintas das pinturas, processos de anodização ou outro qualquer, inclusive oxidação do material, venham a prejudicar a proteção oferecida pelo aterramento por aumento da resistência ôhmica. 16.9. Deverão ser tomadas as precauções necessárias para que as hastes de aterramento sejam posicionadas distantes dos aterramentos dos para‐raios das edificações próximas, do para‐raios do próprio equipamento (onde for o caso) e do aterramento de outros equipamentos próximos. 16.10. Todos os equipamentos deverão ser projetados e implantados com aterramentos elétricos segundo a norma NBR 5410 da ABNT para equipamentos eletroeletrônicos.

Especificação ‐ Câmera digital PTZ em rede – Rev. 1.0 – 04/06/14 7 16.11. As proteções contra descargas atmosféricas, quando aplicáveis, deverão seguir a norma ABNT NBR5419. 16.12. Os equipamentos deverão possuir proteções contra indução eletromagnética, descargas elétricas, interferências, sobrecorrentes, correntes de fuga, choques elétricos e sobretensões. 17. Compatibilidade eletromagnética 17.1. Os itens a serem fornecidos deverão estar imunes às interferências eletromagnéticas originadas por condução, indução ou radiação advindas de outros equipamentos, linhas de transmissão de energia e veículos que circulem em sua proximidade, de tal forma que não sejam afetadas a confiabilidade e o desempenho dos subsistemas. 17.2. Os itens a serem fornecidos, incluindo cabos, deverão possuir compatibilidade eletromagnética entre si, sem degradação de funcionalidade, confiabilidade e desempenho operacional devido às interferências eletromagnéticas. 17.3. Os equipamentos instalados em vias públicas deverão possuir filtros internos a fim de evitar que se tornem susceptíveis aos ruídos espúrios causados pelo sistema de distribuição de energia elétrica urbana ou pelo sistema de distribuição de energia para tração de veículos elétricos. 17.4. A aplicação de componentes e técnicas de blindagem, filtragem e aterramento deverá ser parte integrante da concepção dos equipamentos, sempre que necessário. 17.5. Cabos utilizados para transmitir baixos níveis de sinal, tais como dados digitais, não deverão ser instalados próximo aos cabos que conduzam sinais de potência e precauções deverão ser tomadas para minimizar os loops de indução. 18. Condições Ambientais 18.1. Todos os equipamentos a serem instalados nas vias públicas irão operar expostos à insolação, intempéries, umidade, poeira e demais agentes presentes na atmosfera dos centros urbanos. 18.2. Equipamentos de campo deverão ser protegidos contra choques mecânicos, desgastes e tentativas de vandalismo previsíveis pelo uso em local não vigiado. Especificação ‐ Câmera digital PTZ em rede – Rev. 1.0 – 04/06/14 8 18.3. Equipamentos de campo deverão operar com condições de temperatura externa de 0°C a 50°C com umidade relativa do ar de 0% a 90% com condensação. 18.4. Sempre que necessário, deverão ser utilizados dispositivos especiais na fixação dos equipamentos, de forma a torná‐los imunes a vibrações decorrentes da passagem de veículos de qualquer natureza. 19. Armários, painéis, quadros e bastidores 19.1. Equipamentos como placas e módulos eletrônicos deverão estar contidos em armários, painéis, quadros, bastidores. 19.2. Deverão ter facilidade no acesso, remoção e inserção de componentes, gavetas, módulos ou cartões de circuito impresso, filtros de ar, fusíveis, não requerendo a remoção de parte mecânica ou qualquer outro elemento. 19.3. Deverão ter reforços estruturais de forma a serem autoportantes e possuir pontos de sustentação que facilitem o transporte até o local de instalação, de forma a não causar danos aos elementos neles contidos e à sua própria estrutura. 19.4. Deverão ter recursos que permitam sua perfeita fixação ao piso, base ou suporte e serem construídos em chapa de aço tratadas contra corrosão. Nas situações em que o peso é fator relevante, como nas caixas de câmeras e abrigo para PMV, poderão ser utilizados materiais mais leves, como alumínio ou plástico, desde que atendam aos mesmos pré‐requisitos. Deverão possuir durabilidade mínima de 20 anos. As portas deverão ter ângulo de abertura mínimo de 120°. 19.5. Deverão possuir meios adequados à dissipação de calor gerado por equipamentos nele contidos ou pelas condições ambientais, seja por meio de ventilação forçada ou convecção, de maneira a manter a temperatura interna dentro dos valores especificados para os equipamentos nele contidos. 19.6. As partes metálicas deverão estar eletricamente conectadas e possuir um único ponto de aterramento externo. Especificação ‐ Câmera digital PTZ em rede – Rev. 1.0 – 04/06/14 9 19.7. As partes não metálicas sujeitas a ataques de agentes corrosivos ou raios ultravioletas deverão ter tratamento de superfície. 19.8. Não deverão possuir arestas agudas e rebarbas. 19.9. Em bastidores e gavetas, os espaços não utilizados na parte da frente deverão ser preenchidos com painéis cegos. 19.10. Os armários para uso em campo deverão dispor de fechadura com chave e proteção contra tentativas de arrombamento incluindo alarmes contra abertura de portas, disparados nas Centrais. O segredo das fechaduras deverá ser único, de forma que a mesma chave possa abrir todos os armários de mesma função no subsistema. 19.11. Os armários e painéis deverão possuir estrutura mecânica e componentes de forma a suportar vibrações e choques mecânicos existentes nos locais onde serão instalados. 19.12. Deverão possuir suportes ou guias de encaixe para apoio e sustentação de equipamentos, gavetas, módulos, cartões, componentes e dispositivos conforme normas DIN e IEC aplicáveis, não se admitindo que fiquem soltos. 19.13. Toda a parte dos equipamentos de uso externo deverá ter proteção anticorrosão, caso sejam confeccionados com materiais ferrosos. 20. Requisitos de montagem 20.1. A montagem dos equipamentos e acessórios deverá ser executada com acabamento completo (luvas, guarnições, vedações, prensa‐cabos, cabos dentro das calhas, partes mecânicas e anilhas), de acordo com o projeto e respeitando os padrões ergonômicos, estéticos e arquitetônicos do local da instalação. 20.2. Todas as interferências que venham a ocorrer durante a montagem e desmontagem de equipamentos em campo com a arquitetura (obstáculos), obras civis e com outros equipamentos e objetos (postes, árvores etc.) são de responsabilidade do instalador, de forma que suas respectivas soluções deverão ser aprovadas pela CET. Especificação ‐ Câmera digital PTZ em rede – Rev. 1.0 – 04/06/14 10 21. Requisitos de instalação 21.1. A instalação de equipamentos e acessórios deverá ter acabamento completo de forma a impedir a ocorrência dos seguintes problemas: • Má fixação das conexões, parafusos, rebites, chumba dores, travas, etc.; • Soldas frias; • Mau contato elétrico, emendas ópticas desalinhadas ou de má qualidade; • Má isolação elétrica, incluindo em aterramento e para‐raios; • Infiltração de água e poeira; • Rebarbas; • Choques elétricos; • Movimentação acidental, tombamento e quedas; • Quaisquer deficiências que venham a comprometer a segurança ou a funcionalidade do subsistema. 21.2. A localização dos equipamentos não deverá obstruir ou impedir o acesso a outros equipamentos. 21.3. A existência de interferências com a arquitetura e com obras civis deverá ser solucionada durante a fase de elaboração dos projetos executivos de instalação, os quais deverão ser aprovados pela CET. 21.4. Eventuais problemas decorrentes da não observância deste item serão de exclusiva responsabilidade do instalador, e a solução adotada somente deverá ser executada após aprovação da CET. 21.5. O Instalador deverá utilizar, nos processos de instalação e montagem, os padrões e normas recomendados pelos institutos de normatização, pela própria CET, ou padrões definidos pelos fabricantes de equipamentos, desde que previamente aprovados pela CET. 21.6. Os fios e cabos utilizados na interligação de equipamentos deverão ficar acomodados em suportes, bandejas, calhas e eletrodutos. 21.7. Os fios e cabos utilizados na interligação de equipamentos deverão estar devidamente identificados e aninhados em todas as suas conexões e emendas, seja nos equipamentos em campo, nas Centrais de Operação e nas caixas de emenda de RTDI. Especificação ‐ Câmera digital PTZ em rede – Rev. 1.0 – 04/06/14 11 21.8. Os DGs e caixas de emendas deverão conter todos os mapas ou tabelas de emendas locais. 21.9. Os eletrodutos, suportes, bandejas e calhas deverão possuir taxa de ocupação de acordo com as definições da norma NBR 5410.

Maiores informações acesse nossa loja virtual.

WWW.ROMISEG.COM.BR 

CÂMERAS DE SEGURANÇA INFRAVERMELHO|CFTVDICAS

câmera de segurança infravermelho
câmeras de segurança infravermelho
cameras-de-seguranca-infravermelha-romiseg
CÂMERA INFRAVERMELHO: COMO ESCOLHER E ONDE UTILIZÁ-LAS.

Câmera infravermelho é uma câmera de segurança projetada e pensada para instalação em locais com baixa luminosidade.

A utilidade de uma câmera infravermelha é atender exclusivamente instalações em ambientes com pouca luz.

Deveria ser utilizada somente nesses casos, pois se instalada em ambientes mais ou menos escuros vai ocorrer do LED infravermelho acionar quando não deveria, gerando uma imagem branca.

Qual a diferença de funcionamento da câmera infravermelho e uma câmera comum?

O “mistério” da câmera infravermelho consiste em seus diodos que emitem luz de frequência infravermelha, que ligam quando há falta de luz ou pouca luz.

Quando o ambiente está claro a câmera infravermelha funciona como uma câmera de segurança comum gerando uma imagem colorida. Percebendo a falta de luz os leds são ativados e a imagem passa a ser preto e branco para melhor visualização.

Como eu meço o alcance de uma câmera infravermelho?

O alcance é medido pela potência do conjunto de leds, não pela quantidade de leds. Esse alcance deve ser informado na descrição da câmera ou no manual do fabricante.

Melhor explicando, o alcance da câmera infravermelho depende da potência dos seus leds, podendo ter apenas um LED, super potente, e alcançar 30 metros.

Essa distância influencia no valor cobrado pela mesma. Quanto maior o alcance, mais cara a câmera infravermelho é.

O que deve ser observado, portanto, ao adquirir uma câmera infravermelha é a necessidade de seu uso pela ausência de luz no local da instalação e o alcance dos leds infravermelhos.

Você pode ver os modelos de câmera infravermelho que trabalhamos clicando aqui

Esse foi um   post curto sobre câmera infravermelho que teve por objetivo responder às dúvidas mais frequentes dos nossos clientes sobre o seu funcionamento, como escolhê-las, onde instalá-las e quando utilizá-las.

Caso queiram saber mais sobre  câmeras infravermelho entre em contato conosco.

Pela nossa loja virtual  WWW.ROMISEG.COM.BR

 

 

GRAVADOR DVR STAND ALONE LUXVISION PARA 8 CÂMERAS DE SEGURANÇA|CFTVDICAS

gravador dvr stand alone para 8 câmeras de segurança luxvision
DVR AHD-M LUXVISION 4, 8 ,16 ,32 CANAIS SMART HÍBRIDO (COMPACTO) LVDVR5708TLM
dvr-luxvision para 8 câmeras de segurança
Com o recurso Nuvem é possível acessar as imagens através de computadores e celulares de forma bem simples sem a necessidade de configurações avançadas. O recurso AHD permite utilizar câmeras AHD com alta definição de imagens.

 

 

Dvr stand alone 8 canais Luxvision com tecnologia AHD e acesso das imagens via Internet.
Atualmente vem se tornando cada vez mais importante a imagem com boa definição para que assim possa identificar mais detalhes na gravação.
Este dvr stand alone AHD permite utilizar câmeras analógicas convencionais e câmeras AHD mega pixel.
Para armazenamento das imagens é necessário conectar um HD (não incluso) dentro do DVR, ele aceita HD de 300 GB á 2 TB com conexão Sata II.

OLA AMIGOS MAS AGORA QUERO FALAR UM POUCO DA EMPRESA FABRICANTE DA MARCA LUXVISION A VOCÊS 

Luxvision é uma empresa “brasileira” fabricante de produtos para segurança eletrônica focada principalmente em CFTV e Alarme.

Fundada em 2010, já é reconhecida nacionalmente como uma das maiores empresas de segurança do Brasil.

Com sede em Curitiba no Paraná a marca atua nas principais cidades do Brasil através dos seus distribuidores, atendendo todo o mercado nacional.

A Luxvision conta atualmente com mais de 200 de distribuidores oficialmente autorizados.

A empresa se destaca pela sua preocupação ambiental especialmente na confecção dos seus produtos que são ecologicamente corretos, pois atendem as diretivas do Selo Rohs Compliant, conhecida como a lei do sem chumbo.

Além da preocupação ambiental, a marca oferece cursos técnicos de instalação e manutenção dos seus equipamentos aos seus clientes.

Outra vantagem é o nível baixíssimo de apenas 0,2% de RMA (dados fornecidos pela Luxvision) e o rápido retorno dos produtos em manutenção.

A empresa trabalha com os principais produtos de alarme e cftv tais como câmeras de segurança, dvr stand alone, câmeras infravermelho, câmeras ip, speed domes, sensores de barreira, sensores de alarme ativo, sensores de alarme passivo etc.

Sempre buscando melhorias em seus produtos a Luxvision é todo ouvidos e sempre responde positivamente aos feedbacks dos clientes sobre seus aparelhos.

Para saber mais acesse o nosso site: www.romiseg.com.br

   Uma Breve Descrição do Produto

Canais de vídeo: 08 BNC.
Canais de áudio: 01 RCA.
Qualidade de imagem: AHD-M (1280×720).
Acesso celular: CIF.
Smart Híbrido: IP, Analógico e AHD.
Disco rígido: 01 HD (até 4TB sata 2/3).
Gravação: Movimento e contínuo.
Acesso DDNS: Gratuito, com possibilidade de cadastrar até 50 domínios (por cadastro).
Acesso Cloud: Gratuito. Facilidade no acesso remoto, não necessita redirecionamento de portas.
Software para acesso celular: Luxvision Móbile (IOS e Android).
Áudio Bidirecional: Comunicação entre Luxvision Móbile e  DVR/HVR/NVR através de áudio.
Saída de vídeo: HDMI e VGA.

Uma previa  Especificações técnicas do gravador dvr stand alone Luxvision AHD-M:

Processador principal: Microprocessador de alta performance.
Sistema operacional: Linux.
Pentaplex: Visualização em tempo real, gravação, reprodução, acesso remoto e backup.
Entradas de vídeo: 08 canais BNC.
Entradas de áudio: 01 canais RCA.
Resolução: AHD-M (1280 x 720).
Taxa de Gravação: 26 frames por câmera.
Compressão de vídeo: H264.
Padrão de vídeo: NTSC/PAL.
Modos de gravação: Movimento e contínuo.
Busca de gravação: Pacotes e horário.
Saída de vídeo: HDMI e VGA.
Divisões de tela: 1/4/8/9.
Resolução de saída de vídeo (HDMI e VGA): 1024×768, 1280×720, 1280×1024, 1440×900, 1920×1080.
Saída de áudio: 01 saída RCA.
Compressão de áudio: G.711.
Armazenamento: 01 HD (até 4TB sata 2/3).
Rede: RJ45 10M/100M Base – TX.
Portas USB: 02 interfaces USB.
Onvif: 2.0.
Mouse: Sim.
Interface de operação: Mouse USB.
Backup: HD externo e Pendrive.
Acesso remoto: Através do smartphone (iOS e Android), navegador Internet Explorer e sistema CMS.
Usuários simultâneos remotamente: 10 usuários.
Alimentação: 12 VDC.
Consumo: 480mA (sem HD).
Temperatura de Operação: -10° a 55°C.
Pressão atmosférica: 86Kpa ~ 106Kpa.
Dimensão: 255mm (L) x 45mm(A) x 255mm(C).
Peso: 1 Kg (Sem HD).

 

 

CÂMERAS DE SEGURANÇA INFRAVERMELHO E SEUS BENEFÍCIOS|CFTVDICAS

romiseg câmeras de segurança
Hoje vamos falar um pouco das câmeras de segurança infravermelho e marcas e modelos fabricado no Brasil.
cameras-de-eguranca-infravermelho-romiseg-tudo-para-sua-seguranca
Câmera infravermelha é atualmente a câmera de segurança mais procurada do mercado e com a maior quantidade de modelos disponíveis.

É facilmente encontrada em qualquer comércio, postos de combustível, lojas de conveniência, supermercados, residências, indústrias, shoppings, aeroportos para citar apenas alguns locais.

Sua principal característica é o seu led infravermelho que se acende automaticamente na ausência de luz mínima identificada pelo seu sensor de luz.

Os leds infravermelho são diodos emissores de luz infravermelha que auxiliam na captação das imagens da câmera infravermelhas em ambientes escuros.

Esse modelo de câmera funciona perfeitamente também em ambientes claros, ocasião em que seus leds estarão apagados.

Assim, captando imagens tanto no claro quanto no escuro é fácil entender o porquê é a câmera mais vendida atualmente.

A câmera infravermelha se distingue uma das outras principalmente pelo alcance dos seus leds. Quando se diz que uma câmera alcança 30 metros, quer se dizer que os leds infravermelhos presentes na câmera são suficientes para captar imagens no escuro até a distância de 30 metros.

É importante salientar que esse modelo de câmera deve ser utilizado principalmente em locais escuros ou claros, pois em ambientes pouco iluminados, mas que tem luz suficiente para captação das imagens sem necessitar dos leds a imagem pode não ficar perfeita. Exemplo disso são instalações em elevadores onde, apesar de escuro, há luz mínima capaz de iluminar o ambiente sem a necessidade de acender os leds.

Outra peculiaridade dessa câmera é que ela deve ser sempre direcionada para alguma barreira física, normalmente voltada para uma parede ou piso, não podendo ser instalada direcionada para um local sem barreiras próximas.

Existem diversas marcas de câmeras infravermelhas e você deve dar preferência para marcas com fábrica no Brasil, pois poderá acionar o suporte técnico e exigir a garantia.

Entre as marcas que possuem suporte estão a JFL, Tecvoz e Luxvision e todas elas tem uma equipe especializada para lhe atender e tirar todas as suas dúvidas, além de ministrar cursos técnicos aos instaladores.

Em nossa distribuidora você encontrará diversos modelos e as principais marcas de câmera infravermelho do mercado.

Se não encontrar o modelo que procura em nosso site, nós pedimos que entre em contato conosco, pois nem todas as câmeras infravermelhas que nós temos em nosso estoque estão cadastradas em nosso site.

WWW.ROMISEG.COM.BR

 

COLOCANDO O HD SATA EN SEU DVR STAND ALONE|CFTVDICAS

gravador dvr stand alone para 4 câmeras de segurança
Como conectar um HD externo ao DVR
colocando-hd-no-dvr-stand-alone-luxvision
Dicas ideais para colocar o HD em seu DVR stand alone estas instruções valem para todas as marcas ou modelos de DVR stand alone no mercado.

GRAVADOR DVR

DVR STAND ALONE

DVR LUXVISION

PARA 4,8,16,32, CÂMERAS DE SEGURANÇA

O DVR (Gravador de vídeo digital) LUXVISION  HDMI de alta definição não contem um disco rígido interno que pode armazenar até 20 horas de programação de TV HD ou 90 horas de conteúdo na definição padrão. A capacidade de armazenamento poderá ser aumentada através da ligação do DVR a um disco rígido (HD) externo usando um cabo SATA (A EMPRESA ROMISEG VAI AJUDALO UM POUCO NESTE ASPECTO). Um cabo SATA é ligado em ambas as extremidades com um plug de múltiplos pinos que se conecta nas portas da Scientific Atlanta e do HD externo.

Instruções

Ligue uma extremidade do cabo na porta SATA  localizada na parte de trás do DVR luxvision. A porta no canto inferior direito do painel traseiro do DVR é rotulada SATA e se assemelha a um retângulo fino.

Encaixe o plug da outra extremidade do cabo na porta SATA localizada na parte traseira do disco rígido.

Conecte os cabos de energia do DVR e do HD externo para completar as conexões.

Dicas & Advertências

  • O cabo SATA conecta-se em uma única direção. Se o plugue não se conectar facilmente na primeira tentativa, vire-o e tente novamente. Não force o plug na porta SATA.
  • Desligue o DVR e o HD externo das tomadas elétricas enquanto liga o cabo SATA para evitar picos de energia potencialmente prejudiciais.
  • Tome cuidado para não dobrar ou torcer o cabo SATA para não danificar os fios delicados dentro.
  • MAIORES RESULTADOS ACESSE NOSSA LOJA VIRTUAL
  • ROMISEG.COM.BR

 

Como Instalar um HD em um DVR Stand Alone da luxvision|cftvdicas

romiseg tudo em segurança
Como Instalar um HD em um DVR  da luxvision
gravador-dbr-stand-alone-para-cameras-de-seguranca-romiseg
Todas as operações no processo de instalação devem estar em conformidade com os regulamentos de segurança elétrica locais.

 

DVR LUXVISION

GRAVADOR DVR

DVR STAND ALONE

Verifique se há qualquer dano visível na aparência da unidade. As proteções utilizadas na embalagem do DVR podem protegê-lo da maioria dos acidentes durante o transporte. Verifique os itens constantes na embalagem e certifique-se de que nada esteja faltando.

Recomenda-se o uso do HD da marca Seagate de 7200 RPM ou mais. Aluxvision, não recomenda a utilização de HD da marca Samsung.

 

  • Cálculo do tamanho do HD

 

Para assegurar uma estabilidade superior ao equipamento, recomenda-se o uso de HDs de 120 GB a 2 TB.
A fórmula de cálculo para o tamanho total do HD é:
Capacidade total (MB) = quantidade de câmeras x horas de gravação x uso do HD por hora (MB/h).
A compressão H.264 é ideal para DVRs Stand Alone. Esse modo de compressão pode economizar mais de 30% da capacidade do HD em relação ao método MPEG4.

Quando realizar o cálculo da capacidade total do HD, deverá estimar a capacidade média do HD por hora para cada canal. Por exemplo, para um DVR de 4 canais configurado com um bit de 256 K para cada câmera, sua capacidade média de uso do HD por canal é de 112,5 MB/h. Se pretende que o DVR grave vídeo 12 horas a cada dia durante 30 dias, a capacidade total do HD necessária será: 4 canais x 30 dias x 12 horas x 112,5 MB/h = 162 GB. Assim, será necessário instalar um HD de 250 GB.

Esse procedimento atende os seguintes modelos:

VD 4E 120

VD 8E 240

VD 16E 480

1- Afrouxe os parafusos do chassi DVR

2-Remova a tampa do DVR

3-Fixe os parafusos no HD

4-Ajustes o HD para fixa-lo ao DVR

5-Vire o DVR e aperte os parafusos firmemente

6-Ligue o cabo de alimentação do HD

7-Conecte o cabo Sata do HD

8-Devolva a tampa do DVR e aperte os parafusos firmemente.

 

Maiores resultados vejam em nossa loja virtual

WWW.ROMISEG.COM.BR

 

Sistema de CFTV: 12 dicas para acertar na Instalação|cftvdicas

Câmeras de segurança cftv infravermelho
Sistema de CFTV: 12 dicas para acertar na Instalação|cftvdicas

11062344_449206105264421_6132249829623010402_nfoto2f

 

 

 

 

 

 

 

 Câmeras de segurança

Câmeras de segurança infravermelho

kit cftv com 4 câmeras de segurança

“É melhor prevenir do que remediar!” Não à toa, este provérbio é um dos mais populares da cultura brasileira. Como todo bom provérbio, ele transmite um conselho que tem origem na filosofia do povo. Válido para várias situações da vida, ganha especial relevância quando o assunto é segurança. E uma das melhores maneiras de proteger sua casa ou sua empresa é por meio de câmeras de segurança. Quando integradas a um sistema de circuito fechado de televisão (CFTV), as câmeras são capazes não só de registrar ocorrências, mas, principalmente, de evitá-las.

O que é sistema CFTV

Segundo definição do mercado, o CFTV “é um sistema de televisão que distribui sinais provenientes de câmeras localizadas em locais específicos, para um ou mais pontos de visualização”. Também conhecido como videovigilância, o sistema de CFTV integra câmeras a gravadores e monitores. As câmeras transmitem sinais para um conjunto de monitores que grava o que está acontecendo, mas não envia alerta.

Conheça algumas características do CFTV

  • Distribui para um ou mais pontos de visualização sinais provenientes de câmeras instaladas em locais que precisam ser vigiados/monitorados;
  • É uma plataforma digital e integrada a diversos aplicativos;
  • Possibilita vigiar o local a distância e em tempo real pelo computador, tablet ou smartphone;
  • Possui também filtro específico de busca inteligente que economiza tempo e agilizar a operação,registrados durante as horas de gravação;
  • Mostrar a exata localização e o status de todos os dispositivos no sistema, além de proporcionar a pré-visualização de vídeo das câmeras, permitindo que o usuário responda prontamente aos eventos;
  • Capta movimentação geral, objeto perdido, oclusão de câmera, objeto estranho, perda de foco e perda de sinal.

A essa altura, você já deve estar pensando em atualizar o sistema de videovigilância de sua empresa ou residência. Então, que tal saber um pouco mais sobre como instalar o sistema CFTV? Listamos dicas importantíssimas e os principais erros que devem ser evitados na instalação do CFTV.

Dicas para não errar na instalação de CFTV

Evite usar cabos de par trançado em calhas de elétrica em galpões industriais;

Não instale câmeras próximas a reatores de lâmpadas;

Proteja DVR gravadores contra roubos;

Na área externa, utilize apenas câmeras blindadas;

Em corredores, utilize câmeras de 12 mm;

Não instale câmeras muito baixas, altura mínima 1,8m;

Em elevadores, utilize cabos específicos com capa siliconada;

Evite focar a lente em locais com muita incidência de luz direta;

Jamais faça emendas em cabos, mesmo que estejam soldadas;

Evite focos como entrada de banheiros, piscinas etc;

Não dobre, amasse ou estrangule cabos coaxais, isso certamente causará interferência;

Em sistemas de alimentação única, utilize no breaks;

Utilize apenas fontes de alimentação estabilizadas;

Não se esqueça de fazer uma malha de aterramento para o sistema;

Em trechos longos, observe as perdas de alimentação;

Não isole conectores com fita isolante, utilize fita alta fusão;

Realize manutenção preventiva a cada 6 meses.

 

Na ROMISEG, você encontra profissionais para viabilizar o seu sistema CFTV e fazer a instalação para se adequar da melhor forma às suas necessidades. Quer saber mais? Entre em nossa loja virtual.

WWW.ROMISEG.COM.BR

 

 

Proteja seus equipamentos de surtos de tensão|CFTVDICAS

9232e2f096

cameras-de-seguranca-infravermelho-romiseg-cftvdicas
Como evitar surtos em seus equipamentos cftv de qualquer marcas ou modelos.

Câmeras de segurança

Se você possui, ou pretende ter, um sistema de vídeo monitoramento instalada em seu imóvel, precisa tomar cuidado com os riscos que a rede elétrica pode causar em seu equipamento. Períodos como o verão, onde a tendência de chuvas e tempestades aumenta, uma descarga elétrica pode causar a completa perda de seu equipamento caso ele não esteja devidamente protegido. Por isso indicamos alguns equipamentos indispensáveis para seu sistema de CFTV.

– Equipe todas as suas câmera com um Balun Supressor de Ruído Max Elétron, desenvolvido exatamente para proteger a entrada de alimentação de descargas elétricas.

– O Rack Para CFTV, além de organizar os cabos e gravador digital, também é capaz de proteger os equipamentos de surtos de tensão, contando com fusível de proteção.

– Além,disso é essencial contar com um No-break para seu sistema CFTV, já que além de manter a estabilidade da alimentação elétrica, ela também garante o funcionamento dos equipamentos em caso de queda de energia, garantindo a segurança do imóvel nesses períodos.

Tem mais dúvidas sobre equipamentos para segurança de seu imóvel? Fale conosco!

Loja virtual www.romiseg.com.br

 

Câmeras infravermelhas: os benefícios que a tecnologia IR traz ao seu projeto de CFTV

9232e2f096

cftvdicas-cameras-de-seguranca-infravermelho
Câmeras de segurança infravermelho e seus benefícios para seus projetos tanto para quem compra tanto para quem usa.

 

CÂMERAS DE SEGURANÇA INFRAVERMELHO

Você certamente já ouviu falar sobre a tecnologia IR, ou infrared, aplicadas a câmeras de monitoramento eletrônico. Saiba mais sobre essa solução que trouxe grande avanço aos projetos de CFTV no setor residencial e empresarial.

O que é infravermelho?

Variados tipos de radiações estão presentes em nosso dia a dia, e cada uma delas possui um determinado comprimento de onda e energia que diferem entre si. O olho humano é sensível a estas radiações e as que conseguimos enxergar são expressadas em cores. O menor comprimento de onda que pode ser enxergado por nós se refere à cor violeta e o maior, à cor vermelha.

Os raios infravermelhos (ou infrared) são radiações eletromagnéticas com comprimentos de onda que variam entre 700 e 50.000 nm, ou seja, mais longas do que os nossos olhos são capazes de captar. O termo “infravermelho” refere-se então a uma frequência mais baixa do que a da cor vermelha (infra  = abaixo). A frequência, neste caso, é inversamente proporcional ao comprimento de onda.12

 

Habitualmente, uma câmera IR é composto por uma placa LED, uma lente, e outra placa que contém o sensor de imagem e processador de vídeo. A placa de LED possui emissores de luz que emitem uma radiação eletromagnética na frequência infravermelha. Somado a estes emissores, há um sensor de iluminação (para câmeras CFTV, são utilizados foto transistores ou LDRs) que é responsável por medir a quantidade de luz no ambiente. No momento em que a quantidade de luz presente atinge um limite pré-determinado, é enviado um sinal da placa LED para a placa de processamento de vídeo, informando que é necessário ligar os emissores de luz.

Para compreender melhor essa funcionalidade, imagine um poste de iluminação pública. Ele possui sensores que medem a quantidade de luz do ambiente e, após atingirem os níveis pré-configurados, acionam ou desligam as lâmpadas de maneira automática.

No momento em que os LEDs são acionados, a câmera IR ativa o modo preto e branco, e o ambiente passam a ter uma radiação infravermelha, com comprimento de onda próximo a 850 nm. Quando chegam até um objeto, os raios luminosos emitidos pela placa LED são refletidos e retornam a câmera. O sensor, por sua vez, capta as informações e forma a imagem, mesmo se o ambiente não possuir nenhum tipo de iluminação na faixa que é visível pelo olho humano.

A ROMISEG possui soluções completas em IR para CFTV nos setores residencial e empresarial.

MAIORES RESULTADOS VEJAM EM NOSSA LOJA VIRTUAL

WWW.ROMISEG.COM.BR

Problemas Câmera Segurança Speed Dome Desligando

9232e2f096

Câmeras de segurança infravermelho para monitoramento dia e noite
Problemas Câmera Segurança Speed Dome Desligando

 

Olá pessoal vamos abordar um assunto que costuma ser muito debatido em Fóruns de CFTV, mas vamos passar algumas dicas para tratar esse assunto da melhor maneira possível e quando devemos enviar a câmera para uma assistência técnica.

Essas dicas também valem para outros modelos de câmeras de segurança infravermelho

  Então, quando temos uma câmera de segurança Speed Dome desligando ou reiniciando sozinha pode ser os seguintes fatores;

Fonte de Alimentação com queda de energia.

Bloco óptico da Câmera Speed Dome.

Cabeamento ou processador da Câmera Speed Dome.

Esses são os três casos que mais costuma acontecer com relação ao desligamento da câmera de segurança Speed Dome, quando for a fonte de alimentação ainda conseguimos dar um jeito, mas quando trocarmos a fonte e o problema persistir temos que enviar a câmera para uma assistência técnica de CFTV.

Uma assistência técnica vai ter muito mais recurso que nos sem contar as ferramentas e instrumentos de medição, a assistência vai dar garantia de conserto lhe dizer com precisão o real problema do equipamento e eles realizam teste em bancada para garantir o conserto.

O que recomendamos é isso  teste a tensão que está chegando a sua câmera de segurança Speed Dome e teste também a corrente de consumo da câmera se estiver dentro do descriminado pelo fabricante, vai ser um dos dois problemas citados anteriormente que sugerimos que o equipamento seja encaminhado para uma assistência técnica.

mais informações acesse nossa loja virtual

www.romiseg.com.br